quarta-feira, 16 de maio de 2007

O outro lado da psicodelia de Ronnie Von

Segunda feira, estivemos na casa de Zé Guilherme. Economista, consultor empresarial e músico, entre outras atividades, ele foi o guitarrista da banda B-612, que gravou com Ronnie o antológico disco de 68.

Com 17 anos na época, Zé conta que era conhecido como "Zé Louco" e era o único não-careta na banda. Diz, também, que grande parte dos arranjos 'psicodélicos' do disco, as guitarras ultra distorcidas e os sons estranhos, foram viagens musicais de um bando de garotos - da banda, não de Ronnie. Damiano Cozzela, o maestro produtor, apenas teria dado um "toque final" e, em cartos casos, até "estragado" o trabalho dos garotos.

O papel de Ronnie teria sido apenas o de consentir o trabalho dos músicos - e a façanha do disco, diz Zé, não é do cantor, nem de Cozzela, nem de Arnaldo Saccomani, o autor da maioria das músicas, mas das pirações dos meninos que estavam ligados na música de fora.

Polêmicas à parte - deixaremos elas para o livro -, fiquem com os ótimos vídeos de bastidores, gravados na entrevista, em que Zé comenta algumas músicas.



Tem vários outro vídeos, o upload tá meio lento mas já, já eles pintam aí.

Um comentário:

cissa disse...

Fico muito feliz em ver seu trabalho.Trabalho este, que foi feito com muito carinho e qualidade.Vc merece ZÈ...
Antecipo meu parabéns, pois sei que não terei tempo para desejar-te felicidade.Um grande abraço de sua amiga
cissa maria