terça-feira, 4 de setembro de 2007

São Francisco celebra 40 anos do "verão do amor"

Mais um post da série: (clipping) preguiçoso...


03/09/2007 - 15h31


São Francisco celebra 40 anos do "verão do amor"
Da Ansa
John Schults/Reuters


Ray Manzarek (ex-The Doors) visita o túmulo de Jim Morrinson, em cemitério de Paris (03/07/2001)LOS ANGELES, 3 SET (ANSA) - Era a cidade da geração beat, no Estado da Califórnia, que mais que qualquer outra conseguiu encarnar os sonhos e as aspirações dos filhos das flores. Quarenta anos após o Summer of Love de 1967, São Francisco celebrou neste domingo o aniversário daquela incrível estação.


Para comemorar a data foi feito um show grátis, no espírito de então, que recebeu algumas das estrelas dos anos 60 como Ray Manzarek dos The Doors, Jefferson Starship, Barry Melton, James Gurley e muitos outros, que tocaram para um público de 40.000 pessoas ainda dispostas a celebrar aquele sonho, mesmo ele tenha acabado de forma triste.


"Pensávamos que podíamos mudar o mundo, pensávamos ter condições de criar um 'Mundo cristão do amor', naturalmente não ocorreu. Aqui estamos nós hoje, 40 anos depois, e ainda em guerra. Foi uma grande desilusão", disse à Reuters Ray Manzarek, de 68 anos, tecladista dos The Doors.Aquele de 1967 foi para São Francisco um verão particular. A cidade se tornou o centro das jovens gerações que queriam viver um estilo de vida diferente. Sob o slogan de "sexo, drogas e rock'n'roll", pregavam o amor, a abolição das barreiras sociais e a retirada das tropas americanas do Vietnã, e hoje, muitos dos garotos de então retornaram, com alguns cabelos brancos a mais, para cantar os mesmos slogans, fumar maconha e reviver o estilo hippie.


Algumas mulheres, no parque de Golden Gate, vagaram por toda o dia oferecendo abraços grátis a todos, mas a nostalgia e o sentimento de desilusão se mostravam claros na comemoração."Sinto-me traído por aquelas mesmas pessoas que preconizavam a filosofia hippie, muitos dos ideais que pareciam então muito sólidos foram traídos pelas nós mesmos, pelos mesmos hippies. Muitos de nós o fizeram por dinheiro e se tornaram yuppies e republicanos", disse Fito De La Parra, percursionista da banda Canned Heat.
Barry Melton, conhecido antão pelo apelido de The Fish, que há tempos deixou a carreira musical para seguir a de advogado, disse que o que estragou tudo, os garotos e os ideais, foram as drogas. "Havia uma atitude benigna com a droga, um comportamento muito ingênuo, cometemos erros significativos", disse ele.
O próprio slogan de amor e amizade eternos foram traídos pelos próprios, freqüentemente ocorreram rupturas dentro das tantas bandas de rock que se formaram. "Tínhamos valorizado demais a natureza humana, acreditávamos no amor e na amizade e os enganamos, meu desapontamento se voltou contra mim mesmo", comentou James Gurley, 67, que tocou com o grupo Big Brother and the Holding Company antes de romper com a líder Janes Joplin, que acabou morrendo posteriormente de overdose. (ANSA)

Um comentário:

Marcio disse...

Chega de preguiça, hein! Quero novidades sobre o LIVRO!